"PORQUE NARCISO ACHA FEIO O QUE NÃO É ESPELHO" (Caetano Veloso).

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

HEMORRÁGICA


[Imagem: Paul vestido como arlequim - Pablo Picasso
Vídeo: Give me one reason - Tracy Chapman]

Queria que esse desejo

Fosse tirado de mim a canivete,
Que essa dependência saísse pela carne
Feito um osso comprimido
De dentro para fora.
Queria que a vontade da palavra
Deixasse de me queimar os tendões
E tudo fosse pacificado:
Como a cicatriz de uma amputação,
A sensação do membro mutilado
Ainda morna, mas amainando.

Queria que a abstinência ácida
Não me corroesse
E a falta de poesia não castrasse
A pouca delicadeza que me sobra.
Que a água dessa correnteza
Não me alcançasse, afogasse,
Que o ar que respiro não fosse inflamável
Tão próximo de minhas insignificâncias.


Queria que a palavra,
Afiada como é – faca, faca muito aguda -
Cortasse de uma só vez.
Irremediável.
Para sangrá-la definitivamente sobre o branco do papel.

[Dos: Poemas recém-nascidos]

3 comentários:

"Voando com Borboletas" disse...

Oi Aguinaldo!
Vim te desejar um Natal iluminado de paz e alegrias!
E um 2012 cheinho de coisas incrivelmente belas, doces e felizes!
E não deixe de vir me visitar, ok?
Bjs
Borboleta

Antonio Batalha disse...

É para mim uma grande alegria, acessar ao seu blog e ver o que escreve, continue a ser uma benção, e a escrever sempre mensagens de amor e esperança e de edificação, Deixo um faterno abraço e um desejo de um Ano Novo cheio de graça amor e paz, e que se possa lembrar sempre que o próximo precisa de si.

Neuzza Pinhero disse...

desista de banir as palavras,elas sempre estarão rondando, pedindo que você as combine e pinte e ofereça.
Eu espero que um dia a gente se encontre e converse muito.