"PORQUE NARCISO ACHA FEIO O QUE NÃO É ESPELHO" (Caetano Veloso).

domingo, 23 de janeiro de 2011

TEIMOSIAS SECRETAS


(Imagem: The artist's children - David Davies
Vídeo: Cuitelinho - Renato Teixeira] 

(Ou: Partes do grande tratado universal acerca do que se pode ou não fazer num fim de tarde).

I.
Pelo silêncio eu chego a Deus.
Deus chega a mim pelo mistério.
Tá aí a nossa diferença primordial:
Sou mais objetivo e mais econômico.

Dezenas de vezes reconheço que falho,
Mas na maior parte do tempo eu teimo mesmo.
Quando há possibilidade de inventar uma desculpa
Eu a invento, mesmo que a verdade seja mais fácil.
A natureza das desculpas é nos colocar em constante perigo
Como se Deus nos deixasse por nossa conta
Naqueles minutos em que as elaboramos.

II.
Um velho tem mais sabedoria do que eu,
Uma criança tem mais inocência do que ambos,
Uma passarinho é menos dependente do que os três
E eu, sinceramente, não sei a quem devo me devotar.
(Por falta de coragem
Me devoto aos meus próprios interesses.
Sendo assim, erro para dentro).
O egoísmo não é a melhor saída,
Mas é uma saída bastante cômoda,
(Melhor que a do gambá
Ao fingir-se de morto).
De qualquer modo
Tanto o egoísmo quanto o gambá
Têm seus maus odores.

III.
Por uma janela se vê uma dama nua
Mas pelo buraco da fechadura se vê o que realmente importa.

IV.
Fiz um pacto com Deus
Ele me ensina sua linguagem e eu lhe ensino a minha.
Ele sairá ganhando
Jamais aprenderia nos livros da eternidade
Bestagens tão grandes quanto as que produzo.

V.
Tem um passarinho de papo amarelo fazendo ninho
Num fícus que tenho no quintal de casa.
Se ele me soubesse pedir
Eu o daria uma casinha de barro toda caiada,
Mas ele é orgulhoso demais
(Orgulhoso ou mudo, vai saber...).

VI.
Depois de velho dei pra ficar besta.
Acho que é o fruto do treino de uma vida inteira.

VII.
Vivo na cidade, mas tenho os dois pés
Sujos de esterco de vaca.
Um dia desses arrotei salsinha.
Não é sempre que isso acontece,
Portanto não vivo me arriscando
A arrotar na salada alheia.
Sei que isso é meio asqueroso
Mas se pudéssemos sentir o complexo cheiro das almas
Saberíamos que entre o esgoto
E o roseiral
Tudo o que cheira merece respeito.

VIII.
Nem sempre a tarde se esgueira
Nas frestas da persiana.
Quando isso acontece vejo carros listrados,
Cortados pelas tênues lâminas da janela,
Correndo em desabalada pressa
Pela rua de frente.
Se correrem mais é bem capaz que se desfaçam,
Retalhados...

IX.
Deus me ouviu falar dEle e veio espreitar.
Fico meio sem jeito com a visita,
Nunca sei o que o que pensa a meu respeito.
O que sei é que nunca reclamou
(Isso deve ser um bom sinal).

X.
Parte do meu desejo não passa de um suco de tangerina,
Outra parte ficaria bem feliz de ter assistido
Ao nascimento dos planetas.
Por isso mesmo me detenho por algumas horas,
Todas as noites, a espiar o céu
(Vai que hoje de noite tenha reprise).
Depois que uma ou duas estrelas nascem
Perco a paciência e me volto para o suco.
(Acho que é por isso que nunca vi galáxia alguma nascendo).

XI.
O ineditismo da criação é questionável.
Para que raios se criaria um negócio
Fadado a ser antigo desde seu nascimento?

XII.
O sol já está inteiro escorrendo, escorregando.
Se não o segurarem, escurece.
As árvores da rua já estão se encolhendo
Preparando-se para a noite.
Parece-me que a noite elas ficam menores –
Deve ser por medo do escuro –
Quanto menores, mais fácil de se esconderem.

XIII.
Uma verdade e uma teimosia para terminar:
Verdade é que minha alma tem cheiro de mangueiras
E que em meu coração cabe uma invernada de gado nelore.
Teimosia é continuar tentando ser moleque
No meio dos pastos.
É continuar sentado sobre o mourão do curral,
Distraído, me olhando sempre de longe,
Até que seja definitivamente moleque,
Até que Deus desista
De me envelhecer...


[Dos: POEMAS  DO ESTOQUE]

[Escrito originalmente para o livro "A Minha Idade de Cristo"]

12 comentários:

Lara Amaral disse...

Esse jeito que vc fica nu nas palavras, e desnuda a nós que o lemos, é sensacional. Gostei muito de ler isso, Agnaldo!

Beijo grande.

Vera do sulllll disse...

Boa Noite Agnaldo!
Bom retorno.
Belo poema.
...Que olhar crítico?!
Lindo poema,realidade vivida ou vivenciada,mas VIVA.
Bjs

Eliane Furtado disse...

Mas por onde anda este poeta com suas teimosias secretas.
As minhas são todas escancaradas.
Que férias heim...

Neuzza Pinhero disse...

querido Agnaldo

fazer poesia
é renascer
é exorcizar
o tempo/espaço
assustar as suas mortes

saudade grande

Carla Diacov disse...

pelo silencio chegando a Deus ...

bem assim, uma eu agora!



lindo!

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Lara,

A mesma poesia que nos desnuda, de certa forma, nos veste, protege e oculta. É assim, como num jogo de esconde-mostra, onde o que está oculto é muito mais do que o que foi mostrado...

Super beijo.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Vera querida,

Vivo tentando retornar todos os dias, mas a vida anda corrida como nunca (e isso é ótimo).

Gostaria de voltar a ser frequente como antes, mas não posso reclamar de nada...

E ainda preservo a sorte de ter meus queridos amigos (como você) sempre me visitando.

Super beijo.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Elianinha querida,

Ao contrário do que parece não são férias, é trabalho, trabalho, trabalho, muito trabalho... Mas, cá entre nós, não tenho do que me queixar, a vida está andando rápido e tem vindo cheia de surpresas (como eu gosto).

Super beijo.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Neuzza, amada...

É isso, exorcizar as mortes, as várias, as muitas pelas quais passamos ao longo da vida, para apreender vida todos os dias.

Pouco tempo, mas muita saudade.

Super beijo.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Carla,

Bem-vinda.

É sempre bom quando as visitas deixam seus sinais.

Para facilitar, deixo a porta sempre aberta, as janelas escancaradas e o perfume sempre no ar, para que os visitantes se sintam em casa.

Volte sempre,

Super beijo.

Neuzza Pinhero disse...

poeta do meu coração

venho reler estes seus versos de vez em quando.
´São lâminas mas são flores, mísseis, perfume, canto de grilo, explosão de estrela.
saudade e admiração!

Neuzza Pinhero disse...

...e tem Cuitelinho com Renato Teixeira. Estaria tuco completo se vc estivesse presente.
Um beijo!