"PORQUE NARCISO ACHA FEIO O QUE NÃO É ESPELHO" (Caetano Veloso).

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

SIAMESES


[Imagem: Study for phantastische jagd  - Franz von Stuck
Vídeo: Ilusion - Marisa Monte e Julieta Venegas]

Sinto o mundo
Como se não tivéssemos pele,
Eu e ele
Fôssemos escalpo
De corpo inteiro.

Por vezes ele pedra,
Áspero, granita;
Outras sou eu,
Friccional,
Quem o atrita.

Por sentir assim,
Irmanado de aflições
E de delícias,
É que não cicatrizo.

Partilhamos única epiderme;
Não há cura,
Nem bálsamo.
Apenas sensações.

Sensações em carne.

Com mel e cal
Nos vamos medicando.

[Dos: POEMAS RECÉM-NASCIDOS]

10 comentários:

Eliane Furtado disse...

Bom dia querido Poeta. Eu sinto o mundo e a vida. Intensamente. Sempre foi assim. Muitas vêzes com muita impulsividade. Mas sempre com gosto.
As dores, as alegrias, a felicidade e as aflições.
Uma semana de realizaçõe$
bjjjjjj

Lara Amaral disse...

Não, não cicatriza, o processo é despelar cada vez mais.

Incrível poema! Muito, muito bom!

=)

Zélia Guardiano disse...

Que encanto, meu querido Agnaldo!
Você, mago como é, faz uma obra-prima onde o tema pesado se torna pluma, áspero se torna cetim...
Mil vezes "bravo"!
Não me canso de ler teus versos... Antes, pelo contrário: vontade de ficar aqui para sempre!
Imenso abraço, amigo!

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Eliane, Elianinha,

Mas é isso, não é? Sentir intensamente, viver intensamente, com gosto, unhas e dentes.

Se não for assim, de que adianta? Não, não, não... Somos talhados para a intensidade, para viver plenamente, porque essa é a razão de existirmos.

Ótima semana e Super beijo.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Lara,

E não pode cicatrizar. Para que haja a plena interação, inter-relação com o universo, não pode haver casca. Tem de ser na carne viva.

Super beijo.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Zélia, poeta da maciez,

Olha, você já sabe que as portas dessa casa, bem como o coração de seu dono, não se fecham, portanto, fique, fique o quanto desejar.

Sua presença e suas palavras é que acetinam minhas páginas.

Super beijo.

Eliane Furtado disse...

Bom dia Poeta.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Eliane, Elianinha...

Linda noite...

Super beijo.

Neuzza Pinhero disse...

Querido Agnaldo

amor é isso, fusão que vira um terceiro elemento.
Eu ainda não sei se aprendi a liquidificar os meus metais,
só guardo imagens loucas, vulcões,
sei lá...
só sei que os seus versos fazem un risco fundo
Vc vai se refinando, Agnaldo

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Neuzza querida,

Creio que isso é resultado do derretimento cotidiano; vamos nos dissolvendo e reinventando e coisas se perdem, outras se agregam. Talvez seja esses resíduos que, a se agregarem à poeira do dia, resultem na sensação de refinamento.

Fico feliz que sua percepção te diga isso, porque confio em você. E se você diz, me orgulho. Me orgulho por dar mais um paço em direção à poesia que sempre cultivei. Densa, rascante, mas simples como uma faca de cozinha que, ao sair do pão quente, derrete o torrão de manteiga e a espelha gostosamente sobre a fatia...

É assim que desejo. Quente, simples e acolhedora, mesmo que seja faca e pareça perigosa.

Super beijo.