"PORQUE NARCISO ACHA FEIO O QUE NÃO É ESPELHO" (Caetano Veloso).

domingo, 1 de agosto de 2010

POEMAS DE VIAGENS


ARQUEOLOGIA POÉTICA

Para a datação precisa da poesia
Descoberta
Carbono quatorze.
Sete léguas de paciência.
Sete dias de opressão.
Sete palmos.

Arqueólogos estrábicos conservarão
Oculta
A verdade irrevelável da poesia:
Dez mandamentos secretos
Doze testemunhas reverentes
Sete palmos.

O futuro irá seguir-lhe o rastro das ataduras
No sarcófago
A poesia mumificada. Mãos sobre o peito.
Três discretíssimas orações
Nove pragas irreconciliáveis
Sete palmos.

Gerânios atômicos de papel e letra
Nascerão
Espinhos nas palavras. Poesia afiada.
Dois comprimidos anti-inflamatórios
Um minuto de silêncio
Sete palmos.

Sete palmos acima da razão
(Será desenterrada).


De Chapecó-SC.

7 comentários:

Eliane Furtado disse...

Adoreeeeeeeeeeeei sua visita.
Agora te sigo. E persigo os lindos poemas.
Boa semana!

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Eliane,

Que ótimo. Siga, persiga, consiga... Rsrsrsrs...
Faça como quiser, a casa é sua.

Grande beijo e bem-vinda.

Neuzza Pinhero disse...

imaginei palavras voando e rindo e
uivando, cobrindo o sol e desaparecendo pra sempre, vingadas.
Gosto de poemas assim, que a gente nunca sabe...
um beijo, poeta!

Lara Amaral disse...

Vim pelo blog da Neuzza, gostei muito daqui.

Abraço.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Neuzza querida,

Fico escondidinho atrás do espelho esperando por sua visita.

Você vem e traz flores, perfume, palavras, significados novos para minha poesia.

Permaneço lá, quietinho, e quando você vai embora abro o pacote.

Tem sempre um presente.

Super beijo e obrigado pela visita, pelas palavras desabrochadas e repletas de perfume.

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Lara,

Bem-vinda.

Vindo através do blog da Neuzza tenho certeza de que percorreu ótimos caminhos.

O espelho está aí, à sua completa disposição, para que possa buscar o reflexo que melhor lhe convier.

É sempre um prazer receber novos amigos.

Grande abraço e sinta-se em casa.

Lulu disse...

E veio o poeta com um verso
e o estendeu a minha frente
qual um tapete de rosas.

Eu atravessei suas palavras e as suas pétalas
e cruzei os portais de sua casa
onde repousei
e me embebedei de poesia.
(Lulu)

A-do-rei seu blog. Já está devidamente adicionado aos meus favoritos.
Beijos.